DSC09143.png

Qualquer um pode meditar?

Sim, a meditação não é nada mais do que prestar atenção para o que está acontecendo dentro de nós. Uma capacidade natural que pode ser treinada com pequenos exercícios diários. Foi a partir de minhas experiências que desenvolvi uma forma única de ensinar meditação, afinal de contas, só porque é calmo não significa que precisa ser chato. 

O método Respira

Durante milênios a meditação era uma prática religiosa, nos últimos 50 anos se tornou uma abordagem científica, e agora está na hora de ser POP. Meditação á para todos, e foi com isso em mente que desenvolvi o Método Respira, uma forma didática e divertida de ensinar meditação. Ao invés de aprender diversas praticas que englobam as possibilidades de estado de awareness, o aluno aprende a SER: Se sentar, esperar o tempo definido e apenas respirar, prestando atenção às suas sensações, emoções e reações. Simples assim.

O processo de aprendizado se dá pela troca entre os alunos e pela exploração da experiência direta durante e após as práticas. Textos antigos, artigos científicos e analise de arquétipos da cultura também são usados no processo. Mais do que aprender a meditar, o objetivo é se lembrar de estar vivo e apreciar realmente essa oportunidade.

Um pouco mais sobre Mindfulness

Mindfulness é geralmente traduzido como “atenção plena'', é um dos estados da mente, acessível a qualquer indivíduo, que consiste em um exercício de querer vivenciar o momento presente, intencionalmente, aceitando a experiência. Em mindfulness, o sentido correto de aceitação é o de se olhar a realidade como ela realmente é, sem julga-la ou reagir a ela no “piloto automático”. Com a prática regular, o processo torna-se mais natural, sendo possível permanecer nesse estado em grande parte do tempo e aumentar a qualidade de vida do indivíduo. 

Embora muitos dos termos e técnicas tenham origem nas tradições orientais, o mindfulness hoje em dia é considerado uma prática laica (secular, não-religiosa), com sólida base científica. Os programas baseados em mindfulness têm ajudado milhares de pacientes com ansiedade, depressão e doenças crônicas em geral (incluindo a dor crônica), como também, profissionais, estudantes e atletas com falta de atenção e concentração, cansaço excessivo, queda de desempenho, e falta de propósito em suas atividades cotidianas e no trabalho.

Uma das primeiras aplicações de “mindfulness” como terapia clínica no ocidente foi feita no fim da década de 1970 por Jon Kabat-Zinn e colegas (Universidade de Massachusetts, Estados Unidos), que desenvolveram um programa de redução do estresse baseado em “mindfulness”, conhecido como MBSR (sigla em inglês para: Mindfulness-Based Stress Reduction).O MBSR, também conhecido como “clínica de estresse”, tem sido estudado há pelo menos 30 anos. Trata-se de uma forma de intervenção estruturada, voltada a pessoas, pacientes, profissionais e atletas acometidos com níveis prejudiciais de “estresse”. Os benefícios de mindfulness foram estudados cientificamente em uma variedade de situações, incluindo pessoas com diagnósticos de câncer, ansiedade, depressão, cardiopatias, entre outros, bem como em indivíduos considerados saudáveis (profissionais, estudantes, atletas), mas que apresentem níveis elevados de “estresse” no seu dia-a-dia.

Fonte: Site Centro Mente Aberta de Mindfulness - Universidade Federal de São Paulo.